NOVIDADES Sansão Machava

Huawei inaugura seu maior Centro Global de Cibersegurança e Transparência para Proteção de Privacidade na China

A Huawei inaugurou hoje seu maior Centro Global de Cibersegurança e Transparência para Proteção de Privacidade em Dongguan (China), diante de representantes da GSMA, SUSE, a Instituição Britânica de Normalização e reguladores dos Emirados Árabes Unidos e Indonésia, que interveio na cerimônia de inauguração.

Junto com a abertura do novo centro, a Huawei também lançou sua Linha de Base de Segurança de Produto, marcando a primeira vez que a empresa disponibilizou sua estrutura básica de segurança de produto e práticas de gerenciamento para a indústria como um todo. Essas ações são parte dos esforços mais amplos da empresa para se envolver com clientes, fornecedores, organizações de padrões e outras partes interessadas para fortalecer a segurança cibernética em todo o setor.

“A segurança cibernética é mais importante do que nunca” comentou Ken Hu, presidente rotativo da Huawei Durante o evento inaugural do centro em Dongguan. “Como indústria, devemos colaborar, trocar melhores práticas e desenvolver nossas capacidades comuns em governança, padrões, tecnologia e verificação. Devemos dar razões ao público em geral e aos reguladores para confiar na segurança dos produtos e serviços que utilizam diariamente. Juntos, podemos alcançar o equilíbrio perfeito entre segurança e desenvolvimento em um mundo cada vez mais digital”.

Nos últimos anos, a digitalização industrial e novas tecnologias como 5G e inteligência artificial (IA) resultaram em um ciberespaço mais complexo do que nunca, acrescentando ao fato de que as pessoas passaram uma maior proporção de seu tempo online durante a pandemia Covid-19. Essas tendências levaram a um aumento dos novos riscos de segurança cibernética.

Huawei abriu o Centro Global de Cibersegurança e Transparência para Proteção de Privacidade em Dongguan com o objetivo de lidar com esses problemas fornecendo uma plataforma através da qual as partes interessadas da indústria podem compartilhar seus conhecimentos sobre governo eletrônico e colaborar estreitamente no desenvolvimento de soluções técnicas. O centro foi projetado para apresentar soluções e compartilhar experiências, facilitar a comunicação e inovação conjunta, e promover testes de segurança e verificação. Estará disponível para reguladores, organizações de teste externos independentes e organizações de padronização, bem como clientes, parceiros e fornecedores da Huawei.

Para avançar na consolidação de uma abordagem unificada da segurança cibernética na indústria de telecomunicações, organizações como a GSMA e o 3GPP também trabalharam com atores da indústria para promover especificações de garantia de segurança NESAS e outras certificações independentes. Essas bases são amplamente aceites na indústria e desempenharão um papel importante no desenvolvimento e verificação de redes seguras.

Mats Granryd, gerente geral da GSMA, interveio durante o evento de inauguração do novo centro Huawei. “O fornecimento de serviços novos e existentes na era 5G será em grande parte baseado na conectividade oferecida pelas redes móveis e dependerá fundamentalmente da tecnologia subjacente ser segura e confiável”, disse ele. “Iniciativas como a GSMA 5G Base de conhecimento de cibersegurança, que foi desenvolvida para ajudar as partes interessadas a entender e mitigar riscos em redes, e NESAS, um quadro de garantia de segurança para toda a indústria, foram concebidos para facilitar melhorias nos níveis de segurança dos equipamentos de rede em todo o setor”.

No evento, a Huawei também lançou sau Linha de base de segurança do produto, o culminar de mais de uma década de experiência em gerenciamento de segurança de produto, incorporando uma ampla gama de regulamentações externas, padrões técnicos e requisitos regulamentares. A Linha de Base, junto com outros mecanismos de governança da Huawei, ajuda a garantir a qualidade, segurança e confiabilidade dos produtos da empresa. Ao longo dos anos, a Huawei construiu mais de 1.500 redes que conectam mais de três bilhões de pessoas em 170 países e regiões. Nenhuma dessas redes jamais experimentou um grande incidente de segurança.

“Esta é a primeira vez que compartilhamos nossa estrutura de fundamentais de segurança com toda a indústria, não apenas nossos principais fornecedores”, disse Sean Yang, diretor do Departamento Global da Huawei de Cibersegurança e Proteção de Privacidade.

“Queremos convidar todas as partes interessadas, incluindo clientes, reguladores, organizações de normalização, provedores de tecnologia e organizações de teste, a juntar-se a nós para analisar e desenvolver conjuntamente os fundamentos da cibersegurança. Juntos podemos melhorar continuamente a segurança dos produtos em toda a indústria”.

Atualmente, a indústria ainda carece de uma abordagem coordenada baseada em padrões, especialmente no que diz respeito à governança, capacidades técnicas, certificação e colaboração.

“O risco de segurança cibernética é uma responsabilidade compartilhada”, concluiu Ken Hu em seu discurso inaugural. “Governos, organizações de normalização e provedores de tecnologia devem trabalhar mais de perto para criar um entendimento comum dos desafios de segurança cibernética. Este esforço deve ser internacional. Devemos definir objetivos comuns, alinhar responsabilidades e colaborar na construção de um ambiente digital confiável que aborde os desafios do presente e do futuro”.

Sobre o autor | Website

Editor chefe do Moz Massoko, empreendedor digital, Trabalho também com marketing de afiliados, nos tempos livres gosto de aprofundar os meus conhecimentos sobre internet Marketing.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.